[JNoSQL] Começando com Diana API de Documentos

Os bancos documentos, é um dos tipos de bancos não relacionais que armazena e recupera a informação numa estrutura de documentos, semelhante a um documento XML, esse tipo de banco é uma especialização de um banco chave valor.  Umas das API que existem no Diana, camada de comunicação do JNoSQL, é a camada de Documentos. O objetivo desse artigo é falar rapidamente sobre essa API para esse tipo de banco de dados.

 

No nosso caso será utilizado o MongoDB, assim:

<dependency>
    <groupId>org.jnosql.diana</groupId>
    <artifactId>mongodb-driver</artifactId>
    <version>0.0.1</version>
</dependency>

p.s: Atualmente é necessário adicionar o repositório do JNoSQL para ter acesso as suas dependências:

<repositories>
    <repository>
        <id>jnsoql-repo</id>
        <name>JNoSQL Maven Repository</name>
        <url>https://dl.bintray.com/jnosql/maven/</url> 
        <layout>default</layout>
    </repository>
</repositories>

As classes da API de documento seguem a seguinte estrutura:

  • DocumentConfiguration: Classe responsável pela configuração e conexão com o banco de dados, uma vez esse setup varia fortemente em cada banco de dados.
  • DocumentManagerFactory: classe responsável pela criação de uma interface Manager
  • DocumentManager: assim como no JPA, essa classe é a responsável pelo gerenciamento da entidade.
  • DocumentEntity: uma entidade de uma coleção de documentos
  • Document: Um DocumentEntity é composto por diversos documentos, ele é composto por uma tupla em que a chave é o nome e o valor é a informação propriamente dita. Essa informação poderá ser qualquer valor, variando de cada driver, inclusive um outro documento ou subdocumento.

Com o driver do MongoDB é necessário é possível realizar o CRUD de maneira simples:

public class MongoDBApp {

    public static final String DATABASE = "default";
    public static final String DOCUMENT_COLLECTION = "person";

    public static void main(String[] args) {
        String idValue = UUID.randomUUID().toString();
        DocumentConfiguration configuration = new MongoDBDocumentConfiguration();
        try (DocumentCollectionManagerFactory collectionFactory = configuration.get();) {
            DocumentCollectionManager collectionManager = collectionFactory.get(DATABASE);

            DocumentEntity entity = DocumentEntity.of(DOCUMENT_COLLECTION);
            entity.add(Document.of("name", "Daniel Soro"));
            entity.add(Document.of("age", 26));
            entity.add(Document.of("_id", idValue));

            DocumentEntity entitySaved = collectionManager.save(entity);
            Optional<Document> id = entitySaved.find("_id");

            DocumentQuery query = DocumentQuery.of(DOCUMENT_COLLECTION);
            query.and(DocumentCondition.eq(id.get()));
            List<DocumentEntity> documentsFound = collectionManager.find(query);


        }
    }
}

Vale salientar que é necessário existir um banco MongoDB instalado e rodando. Com o MongoDB é necessário também informar o IP para que o Diana consiga se conectar. Para isso, é necessário o arquivo diana-mongodb.properties no classpath. Assim, ele terá as informações dos bancos que serão conectados. No nosso, exemplo:

mongodb-server-host-1=localhost:27017

Tip: uma maneira simples de instalar o mongodb é utilizando o docker: https://hub.docker.com/_/mongo/

Para demonstrar a facilidade de utilizar a API, utilizaremos também um segundo banco de dados, dessa vez, o Couchbase.

Ao utilizar a sua dependência:

<dependency>
    <groupId>org.jnosql.diana</groupId>
    <artifactId>couchbase-driver</artifactId>
    <version>0.0.1</version>
</dependency>

E no código:

public class CouchbaseApp {

    public static final String DATABASE = "default";
    public static final String DOCUMENT_COLLECTION = "person";

    public static void main(String[] args) {
        String idValue = UUID.randomUUID().toString();
        DocumentConfiguration configuration = new CouchbaseDocumentConfiguration();
        try (DocumentCollectionManagerFactory collectionFactory = configuration.get();) {
            DocumentCollectionManager collectionManager = collectionFactory.get(DATABASE);

            DocumentEntity entity = DocumentEntity.of(DOCUMENT_COLLECTION);
            entity.add(Document.of("name", "Daniel Soro"));
            entity.add(Document.of("age", 26));
            entity.add(Document.of("_id", idValue));
            DocumentEntity entitySaved = collectionManager.save(entity);
            Optional<Document> id = entitySaved.find("_id");

            DocumentQuery query = DocumentQuery.of(DOCUMENT_COLLECTION);
            query.and(DocumentCondition.eq(id.get()));
            List<DocumentEntity> documentsFound = collectionManager.find(query);


        }
    }
}

Assim, como no caso do MongoDB, é necessário que o Couchbase seja instalado e configurado é necessário configurar o arquivo diana-couchbase.properties com os Ips dentre outras informações:

couchbase-host-1=localhost
couchbase-user=root
couchbase-password=123456

Tip: Seguindo a mesma dica do MongoDB, uma boa estratégia é utilizar docker: https://hub.docker.com/_/couchbase/

Especializações

Como mencionado, a extensibilidade dos bancos não relacionais é muito importante uma vez que os bancos têm comportamentos específicos. Por exemplo, o Couchbase tem o N1SQL que é uma query específica realizada em cima do JSON que atualmente, apenas o mesmo possui.

public class CouchbaseApp2 {

    public static final String DATABASE = "default";
    public static final String DOCUMENT_COLLECTION = "person";

    public static void main(String[] args) {
        String idValue = UUID.randomUUID().toString();
        CouchbaseDocumentConfiguration configuration = new CouchbaseDocumentConfiguration();
        try (CouhbaseDocumentCollectionManagerFactory collectionFactory = configuration.get();) {
            CouchbaseDocumentCollectionManager collectionManager = collectionFactory.get(DATABASE);

            DocumentEntity entity = DocumentEntity.of(DOCUMENT_COLLECTION);
            entity.add(Document.of("name", "Daniel Soro"));
            entity.add(Document.of("age", 26));
            entity.add(Document.of("_id", idValue));
            DocumentEntity entitySaved = collectionManager.save(entity);
            Optional<Document> id = entitySaved.find("_id");

            JsonObject params = JsonObject.create();
            params.put("id", id.get().get());
            List<DocumentEntity> entities = collectionManager.n1qlQuery("select * from " + DATABASE + " where _id = $id", params);
            System.out.println(entities);
        }
    }
}

Com isso concluímos o artigo falando da camada de comunicação do projeto JNoSQL para documentos, mesmo com a API comum as implementações serão diferentes, por exemplo, a forma de armazenar o valor, json ou bjson, ou a criação automática do campo “_id” ou não, caso ele não tenha sido informado

Referências:
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s