Novidades do CDI 2.0

cdi_herologo

A especificação de injeção de contexto e dependência, o CDI, certamente foi umas das grandes novidades que surgiram com o Java EE 6. Ele funciona basicamente como uma “cola” para o Java EE, realizando integrações entre os seus beans, recurso, dentro do servidor de aplicação. Nessa nova versão, o CDI 2.0, que está previsto para junho de 2016 teremos algumas novidades. E esse post tem o objetivo de dar uma visão delas. Vale lembrar como ainda se tem tempo para o lançamento muitas dessas novidades ainda estão sendo discutidas e codificadas.

  • A API foi subdividida, agora é possível utilizar uma pequena parte dela, ao invés, de todo o contexto. Assim, será possível rodar em dispositivos que tem menos memória e processamento, por exemplo, a IoT, plataformas embarcadas e até mesmo no Android. Sim, a ideia é realizar um CDI lite, assim irão o básico de injeção de dependência (definição de bean, @Inject, qualificadores, produtores, evento) até todos os recurso.
  • Melhorias nos eventos: definir ordem para os eventos além de poder lançar eventos de forma assíncrona.
  • O uso de programação orientada a aspecto para melhorar os interceptors e decoradores.

Para exemplificar o uso de CDI, será imaginado um simples aplicativo, venda de livros, utilizando apenas o Java SE. O primeiro passo será a criação de um projeto maven e será adicionado a dependência do CDI 2.0, ainda na fase de desenvolvimento, com a sua implementação de referência, o weld.

    <dependencies> 
        <dependency> 
            <groupId>org.jboss.weld.se</groupId> 
            <artifactId>weld-se-core</artifactId> 
            <version>3.0.0.Alpha15</version> 
        </dependency> 
    </dependencies>

Adicionado a dependência, o próximo passo é container do CDI, uma característica interessante é que ele implementa o AutoCloseable, recurso oriundo do Java 7 que permite que a JVM feche o recurso tão logo sai do bloco try. Assim ao executar o código abaixo é possível ver no log o Weld SE container STATIC_INSTANCE shut down.

import org.jboss.weld.environment.se.Weld; 
import javax.enterprise.inject.spi.CDI; 

public class App { 
    public static void main(String[] args) { 

        try (CDI<Object> container = new Weld().initialize()) { 

        } 
    } 
} 

É possível fazer as mesmas coisas como no Java EE, assim é possível realizar injeção de dependência apenas com a anotação @Inject.

public class PaymentMethod { 

    public void payment() { 
        System.out.println("Doing payment"); 
    } 
} 

public class Checkout { 

    @Inject 
    private PaymentMethod paymentMethod; 

    public void checkout() { 
        System.out.println("doing checkout "); 
        paymentMethod.payment(); 
    } 
} 

Retornando a classe App, é possível iniciar uma classe a partir do container do CDI, nesse exemplo será a classe Checkout. O CDI será responsável por iniciar a classe e injetar todas as suas dependências.

public class App { 
    public static void main(String[] args) { 

        try (CDI<Object> container = new Weld().initialize()) { 
            Checkout checkout = container.select(Checkout.class).get(); 
            checkout.checkout(); 
        } 
    } 
} 

Também é possível ensinar o CDI a criar uma instância utilizando o método produtor, por exemplo:

public class User implements Serializable {

private String name;

private String email;

public User(String name, String email) {
this.name = name;
this.email = email;
}

String getName() {
return name;
}

String getEmail() {
return email;
}

@Override
public String toString() {
final StringBuilder sb = new StringBuilder("User{");
sb.append("name='").append(name).append('\'');
sb.append(", email='").append(email).append('\'');
sb.append('}');
return sb.toString();
}
}

public class UserProducer {

@Produces
public User getUser() {
return new User("Otavio", "otaviojava@domain.com");
}
}

Nesse exemplo, a classe User não possui um construtor default, assim o CDI não sabe como instanciar, assim foi utilizado o @Produces dentro da classe UserProducer para ensinar o CDI como instanciar a classe usuário. Assim é possível injetá-lo, por exemplo, dentro da classe Checkout:

public class Checkout {

@Inject
private PaymentMethod paymentMethod;
@Inject
private User user;

public void checkout() {
System.out.println("doing checkout: " + user);
paymentMethod.payment();
}
}

O outro recurso que também estará disponível para SE são os qualificadores. Imagine que agora será possível ter dois métodos de pagamento:

  • Cartão de crédito
  • Dinheiro

Assim o método de pagamento passará a ser uma interface com duas implementações. Umas das maneiras para ensinar qual implementação o CDI utilizará seria a partir dos qualificadores.

public enum PaymentType {
CREDIT_CARD, CASH
}

@Qualifier
@Retention(RUNTIME)
@Target({TYPE, METHOD, FIELD, PARAMETER})
public @interface Payment {
PaymentType value();
}

public interface PaymentMethod {

void payment();
}

@Payment(PaymentType.CREDIT_CARD)
public class CreditCard implements PaymentMethod {
@Override
public void payment() {
System.out.println("Payment with credit card");
}
}

@Payment(PaymentType.CASH)
@Default
public class Cash implements PaymentMethod {
@Override
public void payment() {
System.out.println("Payment with cash");
}
}

Nesse exemplo, foi criado a anotação Payment que possui um atributo, o enum PaymentType, que define os tipos de pagamento. Na implementação Cash, além do qualificador ele possui a anotação @Default, quer dizer que caso não seja definido nenhuma qualificação o CDI o injetará como padrão.

@Inject
@Payment(PaymentType.CREDIT_CARD)
private PaymentMethod paymentMethod;

Será injetado a implementação de cartão de crédito.

@Inject
@Payment(PaymentType.CASH)
private PaymentMethod paymentMethod;

@Inject
private PaymentMethod paymentMethod;

Será injetado a implementação de pagamento em dinheiro.

Uma outra possibilidade dos qualificadores é definir qual instância será utilizada em tempo de execução, basta utilizar Instance com selector.

public class Checkout {

@Inject
@Any
private Instance payments;
@Inject
private User user;

public void checkout(PaymentType type) {
System.out.println("doing checkout: " + user);
PaymentMethod paymentMethod = payments.select(new PaymentSelector(type)).get();
paymentMethod.payment();
}
}

public class PaymentSelector extends AnnotationLiteral implements Payment {

private final PaymentType type;

PaymentSelector(PaymentType type) {
this.type = type;
}

@Override
public PaymentType value() {
return type;
}
}

Definido a forma de pagamento, o próximo passo será o envio de e-mail e entregar o livro. Assim, se pode trabalhar com eventos.

public class SendEmail {

public void sendEmail(@Observes User user) {
System.out.println("Sending email to user: " + user);
}
}

public class DeliveryBook {

public void delivery(@Observes User user) {
System.out.println("Delivering a book to: " + user);
}
}

public class Checkout {

@Inject
@Any
private Instance payments;
@Inject
private User user;
@Inject
private Event userEvent;

public void checkout(PaymentType type) {
System.out.println("doing checkout: " + user);
PaymentMethod paymentMethod = payments.select(new PaymentSelector(type)).get();
paymentMethod.payment();
userEvent.fire(user);
}
}

Um recurso possível agora no 2.0 é definir a ordem em que os eventos serão chamados.

public class DeliveryBook {

public void delivery(@Observes @Priority(Interceptor.Priority.APPLICATION+2) User user) {
System.out.println("Delivering a book to: " + user);
}
}

public class SendEmail {

public void sendEmail(@Observes @Priority(Interceptor.Priority.APPLICATION+1) User user) {
System.out.println("Sending email to user: " + user);
}
}

Outra possibilidade é realizar a chamada de forma assíncrona, para isso basta trocar a nos observadores para ObservesAsync e chamar o método do evento.

public class SendEmail {

public void sendEmail(@ObservesAsync User user) {
System.out.println("Sending email to user: " + user);
}
}

public class DeliveryBook {

public void delivery(@ObservesAsync User user) {
System.out.println("Delivering a book to: " + user);
}
}

public class Checkout {

@Inject
@Any
private Instance payments;
@Inject
private User user;
@Inject
private Event userEvent;

public void checkout(PaymentType type) {
System.out.println("doing checkout: " + user);
PaymentMethod paymentMethod = payments.select(new PaymentSelector(type)).get();
paymentMethod.payment();
userEvent.fireAsync(user);
}
}

Com isso foram apresentados os novos recursos do CDI 2.0, vale lembrar que muitos ainda estão sendo trabalhados, assim esperem por mais novidades até o dia do lançamento.

Link para o código

Anúncios

3 comentários sobre “Novidades do CDI 2.0

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s